Ângulo Produções

Ângulo Produções
Serviço Profissional de Fotojornalismo e Vídeojornalismo - Informações Ligue (11) 2854-9643

sábado, 11 de junho de 2011

Estudo do CNJ mostra perfil de jovens que passam por ressocialização no Brasil


Um levantamento que está sendo concluído pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) mostra o perfil dos jovens brasileiros que passam por medidas de ressocialização no Brasil: a maioria é de classe média baixa, oriunda de famílias desestruturadas, com pouca escolaridade e grande parte envolvida com drogas.

O mapeamento do CNJ mostra ainda que boa parte das unidades socioeducativas do Brasil  não atende às necessidades do Estatuto da Criança e do Adolescente  (ECA), em vigor há quase  21 anos.

"Muitas instituições eram delegacias e cadeias públicas que, de uma hora para outra, se transformaram em unidades de ressocialização de adolescentes infratores", afirma o juiz Reinaldo Cintra, que particpou de visitas a quase todas as unidades de internação de jovens infratores do país, com exceção às do estado de São Paulo, previstas para agosto deste ano.

Segundo Cintra, elas não têm instalações adequadas para atividades de ensino,  recreação e profissionalização. O magistrado destaca que  "existem exceções em números significativos, mas que infelizmente a maioria ainda tem aparência de penitenciária ou de uma cadeia para adolescentes e não de uma unidade socioeducativa.

De acordo com o juiz, "um dos motivos do sucateamento e da precariedade é a falta de  investimentos por longos anos por parte dos estados e do governo federal. Por isso, a maioria dessas  unidades continua sucateada,  mas nos últimos dois anos,  o cenário já apresenta melhora". O levantamento do CNJ mostra ainda que novas unidades  estão sendo  contruídas, as ineficientes demolidas  ou desocupadas para adequações. O levantamento revela também que a precariedade e a ineficiência dessas casas socioeducativas são maiores nos estados das regiões Norte e Nordeste, sem isentar, no entanto, o restante do país.

"Em cada estado há apenas uma ou no máximo duas unidades, conforme o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)" disse Reinaldo Cintra. Segundo ele, "investimentos para melhorar as condições de higiene, a qualidade no atendimento, o aumento do número de funcionários e o fortalecimento do ensino dentro das unidades são medidas que devem ser adotadas a curto prazo. Em um prazo maior,  ele defende mais  investimentos dos municípios nas medidas de caráter preventivo, ou seja,  antes de o adolescente entrar para o mundo do crime.

"O Espírito Santo tem alcançado bons resultados depois que o governo do estado  equilibrou as contas públicas e passou a investir nos últimos dois anos não menos que R$ 60 milhões no reordenamento das casas de internação de menores infratores  e na redistribuição dos internos", explicou a diretora do Instituto de Atendimento Socioeducativo do estado, Silvana Gallina.

Segundo ela, os recursos são destinados à construção de novas unidades nos municípios para dar continuidade à descentralização e à regionalização do atendimento. "O Espírito Santo sai de um cenário em 2003 com apenas uma unidade para atender a todo o estado e hoje já tem 12 instituições. Eram quatro municípios com programas estruturados de liberdade assistida e de prestação de serviços à comunidade, e hoje são 22 municípios".

De acordo com Silvana Gallina, a vontade política e as parcerias foram fundamentais para as mudanças. "O governo capixaba tem sensibilidade e um olhar de prioridade sobre esse público. O que vem contribuindo também é a própria atuação das organizações da sociedade civil e dos órgãos de controle social sobre essa política.

Fonte: Agência Brasil

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Marcelo Aguiar é vice-presidente de Frente de Combate ao Bullying no Congresso Nacional


Deputados e senadores lançaram, nesta quarta-feira (08/06) a Frente Parlamentar Mista de Combate ao Bullying e Outras Formas de Violências, no Senado Federal. A Frente tem como objetivo conscientizar a sociedade sobre o real significado desse fenômeno e acompanhar e fiscalizar os programas e políticas governamentais direcionados ao enfrentamento do problema. O deputado federal Marcelo Aguiar (PSC/SP), autor de uma proposta que cria programa de combate ao bullying, é o 1º vice-presidente da Frente e participou do evento de lançamento que reuniu centenas de alunos de escolas públicas do DF, parlamentares, lideranças e até o jovem Carlos Mateus de Souza, sobrevivente da tragédia de Realengo, no Rio de Janeiro.

“É muito importante termos um espaço de discussão de políticas públicas para impedir que essa violência continue. Agora trabalharemos juntos para aprovar os projetos que tramitam na Casa e construir políticas públicas eficientes no combate ao bullying”, explicou Marcelo. Durante o lançamento, o presidente da Frente, Roberto de Lucena (PV/SP), afirmou que o grupo analisará a aplicabilidade e execução das políticas públicas e promoverá debates, simpósios, seminários e eventos sobre o tema divulgando seus resultados.

Uma das primeiras atividades já realizadas foi o mapeamento de todas as iniciativas e proposições legislativas sobre o tema que tramitam na Câmara e no Senado, para um efetivo acompanhamento. As informações estão postadas no site da frente (www.todoscontraobulliying.com.br).

O evento de lançamento foi realizado no auditório Petrônio Portela, no Senado, e foi marcado pelo discurso coerente de Mateus, um dos sobreviventes do massacre na escola Tasso da Silveira, em Realengo. "Eu sou vítima de bullying na minha escola, mas não quero virar um monstro, não faço igual. O Wellington (assassino de 12 alunos da escola) foi muito zuado e virou um assassino. Não pratique o bullying só porque você foi vítima deixa isso para lá", aconselhou o jovem, que foi muito apaludido.

A Frente homenageou pessoas que se destacaram no combate ao bullying, entre elas o procurador da República Guilherme Schelb e o promotor de Justiça de Minas Gerais Lélio Braga, autor de livros e palestras sobre o assunto. Ao receber a homenagem, Lélio elogiou a iniciativa de formação da Frente: "Como membro do Ministério Público, afirmo que estou muito lisonjeado de estar aqui hoje, nesse momento de virada na luta brasileira contra o bullying, que é o lançamento dessa Frente". Para o promotor, o cyberbullying é ainda mais preocupante que o bullying nas escolas e a Frente também tratará desse tema.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Prefeitura de Poá, convoca servidores para audiência pública sobre discussão do regime jurídico de trabalho


Secretário Alexandre Provisor

A Administração Municipal de Poá realiza no próximo 20 de junho a primeira Audiência Pública para discussão da viabilidade de transformação jurídico de trabalho da Prefeitura. O evento que será realizado no Centro Cultural Taiguara, a partir das 19 horas, tem como objetivo discutir se existe a necessidade de se alterar o regime de trabalho dos servidores públicos da Prefeitura do Celetista para o Estatutário.

“É necessário que se abra um debate e discussão com a classe trabalhadora e demais órgãos interessados, por isso, convocamos os servidores públicos a comparecer ao Taiguara para acompanhar e participar desta audiência pública”, enfatizou.

Além dos servidores, o secretário também salientou que todos os vereadores e Secretários Municipais, além da Diretoria Executiva do Sindicato dos Servidores Públicos do município, Organizações não Governamentais, Entidades de Classes e aos demais interessados. “Tudo que essa Administração Municipal se propõe a fazer é sempre muito bem discutido antes, nada é imposto e essa audiência pública é apenas mais uma prova disso”, concluiu Provisor.

O Centro Cultural Taiguara está situado na Alameda Pedro Calil, nº 50, na área central do município.

Fonte: Secretaria de Comunicação de Poá / Foto: Fernando Nascimento

Goleiro Tiago terá compromissos a partir deste dia 12


O goleiro Tiago terá alguns compromissos ao longo desta próxima semana dentro da capital paulista. A agenda do atleta começa neste domingo (12), em que será o principal convidado do programa “Esquenta”, da Rádio Transamérica FM, das 13h às 14h.

 Na segunda-feira, Tiago irá participar do Projeto Formação de goleiros de futsal, no CEU Tiquatira, zona leste de SP, a partir das 15h.

 O evento tem como principal foco formar goleiros de futsal por meio de atividades sistematizadas de treinamento específico para crianças e jovens de 7 a 15 anos pertencentes às comunidades locais.

 O CEU Tiquatira fica na Av. Condessa Elizabeth de Robiano s/nº, próximo aos ginásios da FPFS (Federação Paulista de Futsal).

 Na quarta-feira (15), o arqueiro tem presença confirmada no lançamento oficial de seu DVD nas dependências do Círculo Militar, no bairro do Ibirapuera, zona sul de São Paulo, às 20h.

Fonte: Assessoria de Imprensa

OIT: mais de 100 milhões de crianças em todo o mundo trabalham em atividades perigosas

Brasília - A Organização Internacional do Trabalho (OIT) divulgou hoje (10) relatório sobre o trabalho infantil perigoso. Os dados mostram que há no mundo 115 milhões de crianças (7% do total de crianças e adolescentes) nesse tipo de atividade. Segundo o relatório, esse número é quase metade dos trabalhadores infantis (215 milhões). É considerado trabalho perigoso qualquer tipo de atividade que possa ser prejudicial à saúde e à integridade física e psicológica da criança.
O relatório também afirma que embora o número total de crianças entre 5 e 17 anos em trabalhos perigosos tenha caído entre 2004 e 2008, houve aumento de 20% na quantidade de crianças entre 15 e 17 anos nessas atividades, passando de 52 milhões para 62 milhões.

O documento diz que o maior número de crianças em trabalhos perigosos está na Ásia e no Pacífico, onde há 48,1 milhões. Contudo, é na África Subsaariana que se encontra o maior número proporcional de crianças em trabalhos perigosos - são 38,7 milhões para uma população total de 257 milhões.

Na América Latina há 9,43 milhões de crianças desenvolvendo trabalho perigoso. Nas outras regiões, como a Europa e a América do Norte, há registro de 18,9 milhões de crianças nesse tipo de atividade.

O estudo afirma ainda que a redução do trabalho infantil perigoso foi maior para as meninas do que para os meninos. Entre 2004 e 2008 houve uma redução de 9% no número de meninos realizando trabalhos perigosos,enquanto no mesmo período a redução do número de meninas foi 24%.

A agricultura é o setor onde há o maior número de crianças trabalhando, 59% delas em atividade perigosa, com idade entre 5 e 17 anos. Fazem parte desse setor a pesca, a silvicultura, o pastoreio e a agricultura de subsistência. O restante está dividido entre o setor de serviços (30%) e em outras atividades (11%). O relatório diz ainda que pelos menos um terço das crianças faz trabalhos domésticos e não recebe nenhuma remuneração para isso.

O estudo afirma ainda que as crianças e os jovens que desenvolvem trabalho perigoso sofrem mais acidentes do que os adultos. O relatório cita que Agência Europeia para a Seguridade e Saúde no Trabalho chegou à conclusão de que os jovens tem 50% mais chances de sofrer alguma lesão do que os adultos.

O estudo lembra que no Brasil, foram registrados entre 2007 e 2009 mais de 2,6 mil lesões de trabalho em crianças. No Chile, em 2008, foram observadas mais de mil lesões em jovens com idade entre 15 e 17 anos.

Para acabar com o trabalho perigoso de crianças e de adolescentes em todo o mundo,o relatório recomenda a todos os governo que sejam tomadas medidas com base em três eixos. A primeira é que os governos devem assegurar que as crianças frequentem a escola até, pelo menos, a idade mínima permitida para o trabalho. Os governos também devem melhorar as condições sanitárias próximas aos locais onde é realizado o trabalho e adotar medidas específicas para jovens que tenham entre a idade mínima para trabalhar e 18 anos.

Também devem ser adotadas medidas jurídicas para atuação contra o trabalho infantil perigoso, com a colaboração de empregadores e trabalhadores.
 
Fonte: Agência Brasil

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Minha esperança: o novo trabalho de Soraya Moraes

Cantora lança pela Graça Music o 12º CD de seu ministério

Talentosa, dona de um timbre espetacular e uma voz surpreendente. Assim é Soraya Moraes.

Paulistana, a cantora é casada com o produtor musical Marco Moraes, que conheceu na adolescência, quando ambos tocavam na banda de rock Metanoya. Dessa união, nasceu Raissa, que, hoje, acompanha musicalmente a mãe: ela toca guitarra nas apresentações de Soraya e até participou de seu novo disco.

Após sua fase ‘roqueira’, Soraya partiu para o louvor congregacional, ministrando no Renascer Praise, e não mudou mais. De lá para cá, somados todos os seus trabalhos, são 11 CDs, além de 2 DVDs. Com uma carreira sólida, a cantora coleciona premiações no mercado gospel e secular, como os gramofones do Grammy Latino, sendo a cantora brasileira com mais estatuetas conquistadas na premiação.

Em agosto de 2010, depois de um longo namoro, Soraya assinou contrato com a Graça Music e deu início à produção de seu primeiro disco pela nova Casa. Foram mais de seis meses de intenso trabalho de pesquisa musical. Soraya, sempre muito criteriosa com o que grava, procurou em Deus uma direção para o repertório. Assim, foram surgindo duas, três, cinco músicas, até a cantora selecionar as 11 faixas que compõem o CD Minha esperança.

Produzido por Marco Moraes e Odael Rodrigues, o álbum traz uma Soraya ainda mais congregacional e com a mesma interpretação impecável de sempre. Das canções escolhidas, quatro são versões: “Deus de Abraão”, “Manda o fogo”, “Canta ao Senhor” e “Abraça-me, Senhor”, que foi escolhida pelo público para ser a música de trabalho do disco. As outras canções são de autoria da própria Soraya com o marido.

Para o lançamento do CD, que deve chegar da fábrica nos próximos dias, está sendo preparada uma turnê pelo Brasil. E Soraya já tem, inclusive, viagens ao exterior reservadas para quando o álbum chegar.

Na última semana, a faixa “Abraça-me, Senhor” foi enviada para as principais rádios gospel do Brasil, aumentando ainda mais a expectativa para esse novo trabalho.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Solene homenageia Dia do Meio Ambiente na Assembleia Legislativa, iniciativa foi do deputado Dilmo dos Santos


A Assembleia Legislativa de São Paulo realizou sessão solene para homenagear o Dia do Meio Ambiente. A cerimônia, que lotou o plenário Juscelino Kubitschek na noite de 6 de junho, foi proposta pelo deputado Dilmo dos Santos (PV) com apoio da bancada do Partido Verde na Casa e da Direção do partido no Estado. A solenidade, que contou com a presença de ambientalistas, ONGs, artistas, parlamentares, além de dirigentes e militantes do PV, foi aberta pelo presidente Barros Munhoz e teve a participação do secretário do Meio Ambiente de São Paulo, Bruno Covas e do secretário municipal do Verde e Meio Ambiente, Eduardo Jorge, que formaram a Mesa junto com o deputado federal José Luiz Penna, presidente nacional do PV e Rogério Menezes, secretário adjunto de Saneamento e Recursos Hídricos.

Após a abertura, a cerimônia foi presidida pelo deputado Dilmo dos Santos que dividiu a condução dos trabalhos com a deputada Regina Gonçalves (PV). “Hoje é um dia marcante, pois estamos tendo a honra de receber grandes nomes que devotam suas vidas e inteligência a favor de questões fundamentais para todos nós, como a preservação do meio ambiente, a redução da poluição e a conscientização do descarte de resíduos nas águas e na natureza. Isso é preservação da vida para agora e para as futuras gerações”, destacou o deputado Dilmo, que lançou a Frente Parlamentar em Defesa dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ) e também apresentou projeto de Lei para recomposição de matas ciliares no Estado.

Estavam presentes no evento importantes nomes que militam em prol da causa verde e da sustentabilidade, como o ambientalista Fábio Feldmann, candidato do PV ao governo paulista nas eleições de 2010 e os atores Christiane Torloni e Victor Fasano, que acompanham de perto as discussões sobre o Código Florestal Brasileiro e sobre a construção da usina hidrelétrica de Belo Monte (PA), temas citados pelos artistas em seus pronunciamentos na Alesp.

Dezenas de autoridades prestigiaram a cerimônia, entre eles o deputado federal Mendes Thame (PSDB), os deputados estaduais Itamar Borges (PMDB) e Beto Trícoli (PV), presidente da Comissão de Meio Ambiente na Assembleia Legislativa, além de prefeitos e vereadores paulistas. O evento foi marcado por pronunciamentos de alto nível técnico emitidos por membros da comunidade científica e acadêmica de importantes instituições, como Fapesp e universidades, como Unicamp e USP.

A plateia, composta por cerca de 500 pessoas - entre convidados, pastores e lideranças evangélicas -, pode acompanhar uma programação diversificada que incluiu apresentações musicais e a entrega do Prêmio “Reverência Verde”, criado pela artista plástica Leila Boás especialmente para a cerimônia. Entre os contemplados estavam a Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, por seus 25 anos; as Organizações Não-Governamentais SOS Mata Atlântica, Curadores da Terra e Greenpeace; os professores Enéas Salati (Esalq), Carlos Joly (Biota/Fapesp); e o arquiteto José Pedro de Oliveira Costa, primeiro secretário do Meio Ambiente de São Paulo.

Durante a sessão solene foi distribuído aos participantes o folheto “Para o PV, Dia do Meio Ambiente é todo dia”, com as principais propostas do Partido Verde para o Estado de São Paulo e para o Brasil, além de sementes de Jerivá, uma palmeira nativa da Mata Atlântica.

Fonte: Assessoria de Imprensa

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Famosa missionária assume homossexualismo e lança nova igreja gay com companheira pastora

A Comunidade Evangélica Cidade Refúgio é a mais nova igreja sem preconceitos do Estado de São Paulo, fundada pela missionaria Lanna Holder a igreja acolhe os homossexuais sem julgamentos, dizendo dar-lhes um local para que possam adorar a Deus sem serem apontados ou acusados por outras pessoas.

Lanna Holder, 34 anos, missionária, já ministrou suas mensagens por todo o Brasil, Europa e EUA e atualmente está empenhada juntamente com sua companheira a Pastora Rosania Rocha (cantora e compositora) na administração e na direção de sua nova igreja, a Comunidade Evangélica Cidade Refúgio, no Centro de São Paulo. Lanna que já foi alvo de varias polêmicas envolvendo o homossexualismo no passado diz que todos somos iguais perante a Bíblia e que considera sua igreja como um sonho de Deus que Brotou em seu coração e que agora, finalizado, está começando a dar seus primeiros frutos.

A igreja afirma contar com as mais diversas programações e tem como o objetivo principal as missões, preparando seus membros para conquistarem, como a bíblia diz em Atos capitulo 1 versículo 8, “os confins da terra”, Lanna e Rosania definem os confins não como as cidades distantes, do outro lado do planeta, mas sim o outro lado da rua, seu vizinho e até mesmo o quarto do seu filho que está triste.

As dirigentes da igreja já possuem uma sede em Portugal e pretendem inaugurar futuramente novas sedes nos EUA e em outros países da Europa. Outro diferencial da igreja é o projeto social da igreja, a ong Mãos em Ação, que pretende dar auxilio a pessoas que sofrem ou sofreram todo tipo de trauma, seja de ordem psíquica, física, mental e emocional consequência de maus tratos, rejeição, agressões físicas ou verbais e até ações de cunho homofóbico devido a sua sexualidade pretende “curar” os participantes e orienta-los no caminho em que devem andar, tornando-os cidadão com uma visão mais abrangente e, se desejarem, membros da Comunidade Evangélica Cidade Refugio.

Veja o site da igreja: http://www.jesuscidadederefugio.com.br

Vídeo: Convite de Lanna Holder para a Igreja Cidade do Refúgio



Fonte: Gospel Mais




RÁDIO NOTÍCIAS - Grupo de teatro leva espetáculo anti-bullying às escolas do Rio

Grupo de teatro leva espetáculo anti-bullying às escolas do Rio

Clique e Ouça a Notícia




Mudanças na turnê do Third Day no Brasil


A banda norte-americana, Third Day estará de volta ao Brasil no mês de junho depois de participar do evento Jesus Vida Verão em janeiro deste ano. No entanto, a turnê divulgada inicialmente em 6 cidades do país, foi alterada e agora estará limitada apenas às cidades de São Paulo e Curitiba.

Por dificuldades junto à produtora que comprometeu-se com os shows de Ipatinga, Belo Horizonte, Goiânia e Brasília, estas cidades foram retiradas da turnê. “Infelizmente a produtora não cumpriu com os prazos e exigências para o show do Third Day e na última hora eles mesmos desistiram de prosseguir com as agendas. Tentamos ainda buscar novos parceiros, mas em função do tempo curto para promoção e organização dos shows, em acordo com o manager do Third Day, simplesmente adiamos a turnê para o mês de agosto deste ano” – informou Cláudia Fontes, coordenadora de marketing internacional da Sony Music.

Tristeza para uns, alegria para outros, afinal o público de São Paulo e Curitiba poderão curtir o som do Third Day nos dias 17 e 18 de junho, respectivamente. O show do Third Day em São Paulo será realizado no Renascer Hall na Mooca e contará com as participações de Oficina G3, Marcus Salles e Marcelo Aguiar. Em Curitiba, o Third Day será a principal atração do Adora Heavens que acontecerá no ExpoTrade e contará também com shows de Oficina G3, Ministério Castelo Forte, Thalles, Trazendo a Arca e Pregador Luo. Os ingressos já podem ser adquiridos em diversos pontos na capital paranaense ou também no site oficial do evento http://www.adoraheavensfestival.com.br/principal/

A Rádio Gospel FM está fazendo diversas promoções e os ingressos já começam a ser vendidos neste fim de semana nas Igrejas Renascer da Grande São Paulo. Para Curitiba, caravanas estão sendo formadas em todo o Estado do Paraná, interior de São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O Adora Heavens será um dia inteiramente recheado de atividades com palestras, ministrações, shows e manifestações artísticas.

Ainda de acordo com Cláudia Fontes, para a turnê da banda em agosto, os ajustes para shows em Goiânia e Brasília estão bem adiantados. Estão sendo analisadas possibilidades de outros shows em Minas Gerais, Recife, Belém, Manaus e Rio de Janeiro.

Fonte: Assessoria de Imprensa

terça-feira, 7 de junho de 2011

Itaquera participa da Virada Sustentável

Em comemoração ao Dia e a Semana do Meio Ambiente, a Prefeitura de São Paulo, promoveu neste final de semana a 1ª Virada Sustentável. Mais de 60 espaços e parques da cidade participaram do evento, que contou com mais de 300 atividades. Em Itaquera, o Parque Raul Seixas, Rua Murmúrios da Tarde, 211, distrito José Bonifácio, promove desde 2009, plantio de árvores com a participação de motos clubes (clube de motociclistas) da região.

A “Motoata Ecológica”, que este ano chegou à sua terceira edição, foi realizada neste domingo, dia 5 de junho – Dia Mundial do Meio Ambiente, e reuniu 48 motos clubes. A concentração aconteceu nos baixos do Viaduto Jacu Pêssego, próximo ao 32º Distrito Policial. Em comboio, motociclistas saíram do Centro de Itaquera até as Praças Santo Agostinho, distrito José Bonifácio; do Figueiredo; e Jarauapa, na Parada 15 de Novembro, distrito Itaquera. Cada equipe plantou uma espécie de árvore nativa, entre pau-brasil; jacarandá; quaresmeira; pitangueira; jabuticabeira; coco - anão; crumixama e outras. Mais três árvores foram plantadas por autoridades e convidados, totalizando 51 mudas de árvores.

Antes da largada da 3ª “Motoata Ecológica de Itaquera”, o padre Rosalvino Morán Viñayo, da Obra Social Dom Bosco, em cima de um triciclo, deu boas-vindas aos participantes do evento e rezou a oração do Pai Nosso. Os motociclistas Donato Silva do Moto Clube “Os Abutres”, um dos maiores do País, localizado na Vila Ré, Penha, e Luís Hatner do “Zona Leste Motoclube”, de Itaquera, falaram da alegria de estarem participando da Virada Sustentável.

“Hoje o pensamento mundial é a preservação do meio ambiente e os “Abutres” não poderiam ficar de fora”, disse Silva. “Participamos das outras duas edições, a cada ano o evento cresce. As pessoas estão se conscientizando cada vez mais da importância da preservação ambiental”, comenta Hatner sobre o evento que ajudou a idealizar e que reuniu este ano cerca de 500 motociclistas.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Subprefeitura de Itaquera

RÁDIO NOTÍCIAS - Definida equipe brasileira de triatletas que irá disputar os Jogos Mundiais Militares

Clique e Ouça a Notícia





segunda-feira, 6 de junho de 2011

Cidade Pentecostal agita Manaus com shows inéditos


O conhecido espaço de eventos da capital amazonense deve ficar pequeno no dia 17 de junho quando receberá pela primeira vez alguns dos shows mais esperados da região. Neste dia, subirá ao palco do Cidade Pentecostal pela primeira vez na cidade as cantoras Damares e Brenda. Com mega estrutura de som, luz e cenário, o Cidade Pentecostal tem tudo para entrar oficialmente no calendário de eventos oficiais do Estado do Amazonas.

A cantora Brenda estará estreando no Estado lançando seu primeiro CD, “Outra Metade”. A cantora também estará participando de várias entrevistas nas mídias locais e ainda participará de uma tarde de autógrafos na Disco Laser, importante rede de lojas da cidade. Outra que estará estreando na cidade, será a cantora Damares que contará com toda sua equipe de banda e apoio para fazer um grande show. “Vai ser nosso primeiro show divulgando o projeto “Diamante” e tenho certeza de que o povo de Manaus vai ser tremendamente abençoado naquele lugar! Estou bastante feliz por rever o povo de Manaus e também muito ansiosa por estar participando desse grande evento!”

Outra atração da gravadora Sony Music no Cidade Pentecostal será o rapper Dj Alpiste apresentando os sucessos de seu CD “Invencível”. Completando as atrações do evento, o cantor Thalles estará também se apresentando no evento. O Cidade Pentecostal terá seu início às 19h e para adquirir seu ingresso, basta dirigir-se aos postos de venda com convites de pista a R$ 20,00 nas Óticas Veja e toda a rede Disco Laser Gospel.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Pesquisa revela que 56% dos evangélicos brasileiros fizeram sexo antes do casamento; 25% já trairam a esposa


Durante muito tempo, era praticamente proibido falar nele nas igrejas. Assunto restrito às quatro paredes dos gabinetes pastorais e considerado tabu pelos crentes, o sexo tem sido visto como uma espécie de fruto proibido ao longo de séculos. A imagem, aliás, é das mais apropriadas – acostumou-se a associar o pecado original de Adão e Eva à prática do sexo, e não à desobediência explícita ao Criador. Vítima de preconceito, legalismo e uma pseudomoralidade que visava muito mais ao controle social do que à santidade, a sexualidade atravessou as eras como algo sujo, um prazer proibido, algo que afastava as pessoas de Deus. Visão bem diferente do propósito do Senhor, que dotou o ser humano da capacidade de amar e ser amado, ao ponto de a própria Palavra de Deus aconselhar o homem a gozar a vida com sua mulher.

Novos tempos, novos valores. Ultimamente, os crentes em Jesus têm aprendido não só a valorizar o sexo – quando praticado dentro dos limites do casamento, bem entendido – como a, vejam só, falar sobre ele. O resultado disso é que trabalhos inimagináveis há algumas décadas têm sido realizados entre a comunidade evangélica, levando os crentes a mostrar a cara e a falar claramente sobre suas preferências, dificuldades e práticas de alcova. O mais recente deles é a pesquisa de opinião O crente e o sexo, cujos resultados CRISTIANISMO HOJE traz em primeira mão. O estudo constitui um amplo panorama sobre o assunto, em que quase 12 mil crentes – sendo 5,1 mil casados – responderam a perguntas enviadas pelo Bureau de Pesquisa e Estatística Cristã (Bepec), que está sendo lançado junto com a pesquisa.

Através de uma parceria com a empresa Akna Software, especializada em marketing digital, e o portal e revista cristã Genizah, o Bepec teve acesso a mais de 1,5 milhão de endereços eletrônicos de evangélicos, sendo que o instrumento de coleta foi mandado para cerca de 71,5 mil destinatários. Por questão de metodologia, apenas o grupo-alvo dos evangélicos casados foi totalizado neste primeiro momento. Um universo amplo, representando diferentes regiões do país e classes sociais, bem como oito grandes grupos de confissões, incluindo igrejas tradicionais, pentecostais e neopentecostais e denominações de grande porte, como Batista e Assembleia de Deus. “A pesquisa foi feita com rigor científico”, destaca o profissional de marketing digital e blogueiro Danilo Silvestre Fernandes, idealizador do Bepec. Evangélico, ele conta que suas principais motivações foram o interesse que o assunto desperta e a carência de material do gênero. “Não há quase nada disponível sobre a sexualidade dos evangélicos”, atesta. “Sexo é tabu entre os crentes e as matérias sobre isso são as mais lidas e comentadas. Quisemos produzir conteúdo inédito – incluindo dados primários, como é o caso da pesquisa O crente e o sexo.”

Não se pode negar mesmo que o assunto seja apimentado. E que, a partir da divulgação dos resultados da pesquisa, deve render mais pano para a manga nas igrejas. Como explicar, por exemplo, o espantoso percentual de 25% dos homens crentes casados que já traíram a mulher? Ou que 56% dos pesquisados do sexo masculino tenham praticado sexo com o futuro cônjuge antes do casamento? E isso, mesmo levando em conta que quase a metade dos respondentes têm mais de dez anos de conversão à fé evangélica e que o espectro etário é amplo, compreendendo dos 16 aos 55 anos. Ademais, a metade dos pesquisados informou ter mais de oito anos de casamento – ou seja, é gente que já passou pela famosa “crise dos sete anos”, o que é indicativo de estabilidade na relação. A conclusão, óbvia, é de que o abismo entre o discurso dos púlpitos e a prática dos crentes, que sempre se suspeitou existir, é um fato.

“Chamou-me a atenção o índice de casais crentes que tiveram relações sexuais antes do casamento”, aponta o pastor Gilson Bifano, diretor do Oikos, ministério cristão de apoio à família. Sediado no Rio de Janeiro, a entidade promove aconselhamento, estudos e eventos voltados para casais crentes. Ele diz que muito do que a pesquisa mostrou já é do conhecimento de quem trabalha nesta área. “Creio que os tempos modernos têm influenciado o comportamento dos casais crentes. Sexo é assunto que ficou, por muitos anos, sem ser tratado no âmbito evangélico. Há muito dogmatismo e falta diálogo.”

“Sem Surpresa”
A pesquisa desce a minúcias como práticas sexuais dos casais crentes, envolvimento com homossexualismo e uso de pornografia – quesito no qual 44,5% dos consultados responderam “sim”. No entender de Danilo, o que chama a atenção é a proximidade relativa dos dados de Os crentes e o sexo e outra pesquisa, esta realizada pelo Ministério da Saúde em 2009 com a população em geral. Ali, o objetivo era bem diferente: balizar políticas públicas de combate à Aids. Mesmo assim, alguns dados são inquietantes – como o índice de traição ao parceiro fixo, que ficou na casa dos 16 por cento em um ano na mostra do governo. “Isso não quer dizer, evidentemente, que o evangélico traia mais”, ressalva. “Apenas que os crentes, em diversos aspectos, não diferem tanto assim das pessoas que a Igreja convencionou chamar como ‘do mundo’.”

“De modo geral, não me surpreendo”, comenta o pastor Geremias do Couto, da Assembleia de Deus. Fiéis de sua denominação, conhecida historicamente pelo rigor nos costumes, constituem um quinto do total de pessoas casadas que entraram na pesquisa. Mesmo assim, ele concorda que a influência de uma prática de vida liberal tem cobrado seu preço da Igreja, sobretudo nesta área: “O percentual naqueles pontos que, de fato, consideramos anomalias, ou mesmo pecado, estaria, a meu ver, dentro de um corte que corresponde ao modo como a prática da fé cristã é vivida, hoje, sem muito comprometimento”.

Geremias, que é vinculado ao projeto My hope (“Minha esperança”), da Associação Evangelística Billy Graham, e dedica parte de seu ministério à orientação cristã para casais, teve acesso aos dados da pesquisa antes de sua divulgação. O ponto que mais chamou sua atenção foi mesmo o da traição entre cônjuges crentes. Exatos 24,68% dos homens admitiram a pulada de cerca, enquanto que 12% das casadas evangélicas caíram em adultério. O detalhe é que, entre os neopentecostais, o índice supera em cerca de 5 pontos o de adeptos de outras denominações – como os anglicanos e presbiterianos, classificados na pesquisa como “reformados”. “Seriam, hipoteticamente, dois a três casos de infidelidade em cada dez casais crentes”, aponta o pastor.

Abertura
A pesquisa não deixou de abordar questões como frequência de atos sexuais no casamento e as diferentes modalidades de práticas sexuais. Engana-se quem pensa, por exemplo, que crentes se contentam com as mais convencionais. Quase 38% dos que responderam a pesquisa – lembrando que foram 56% de homens e 44% de mulheres – disseram que “vale tudo” no quarto conjugal, desde que ambos concordem. Aí entram a masturbação mútua, o sexo oral (com grande aceitação para mais de 80%) e até sexo anal, normalmente vetado por líderes e conselheiros por sua associação com práticas promíscuas homossexuais, a chamada sodomia. Mas 21,4% dos casais crentes confessaram praticá-lo.

Tratar de aspectos tão delicados da intimidade conjugal só foi possível, segundo Danilo, pela garantia do anonimato. “Pesquisas onde a coleta dos dados não é presencial, embora exijam mais cuidado na amostragem científica, ganham nos fatores envolvendo a privacidade do objeto do estudo. Isso incentiva a abertura para assuntos difíceis e a honestidade das respostas”, explica. “Tenho certeza de que muitos usaram a pesquisa como uma espécie de confessionário, prática abandonada pelo protestantismo”, opina o bispo Hermes Fernandes, um dos colaboradores de Genizah e líder da Rede Episcopal de Igrejas da Nação Apostólica (Reina). Ele acompanhou a elaboração da pesquisa e diz que o estudo confirma, com riqueza de detalhes e informações, o que todo mundo sabe: “O proibido é mais gostoso”. Para Hermes, a pressão exercida pela religiosidade acaba por acentuar as pulsões sexuais, tornando-as exacerbadas. “Muitos certamente ficaram aliviados por saber que não são os únicos a adotar certos comportamentos considerados tabus.”

“Religião não é cabresto”
O pastor Carlos Moreira, 45 anos, da Igreja Episcopal Carismática do Brasil, acredita que a pesquisa O crente e o sexo foi importante para desfazer mitos. Graduado em teologia e filosofia, ele conversou com CRISTIANISMO HOJE:

Cristianismo Hoje – Como explicar a proximidade de alguns dados da pesquisa entre casais crentes e os levantados junto à população em geral?

Carlos Moreira – Na verdade, a pesquisa desvela um universo que, talvez, ainda seja desconhecido do público em geral. Contudo, ela apenas comprova o que já escuto todos os dias no meu gabinete, durante as seções de aconselhamento. O que existe na verdade é que a sociedade imagina que a religião é um cabresto para determinados impulsos da natureza humana, como a sexualidade, por exemplo. Tratar os evangélicos como uma categoria diferenciada da população é alimentar um mito, é imaginar que esta “fatia” da sociedade possui hábitos e costumes diferentes das outras pessoas. Engano. Se isso algum dia foi verdade, hoje, já não é mais.

E por que o tema é tão espinhoso para os evangélicos?

Sexo, para os cristãos, sempre foi um problema, e isso desde o início da Igreja. Paulo já carregava notadamente certa dose de preconceito em suas epístolas, talvez por questões pessoais, talvez como forma de antagonizar a doutrina cristã frente à devassidão da sociedade romana, na qual ele vivia. Esta, por sua, vez, já tinha influências do helenismo grego, onde o sexo assumia diversos matizes contrários aos costumes hebreus. Dali para a frente, a questão só piorou. No século 4, com Santo Agostinho, o sexo tornou-se algo terrível, uma nódoa na consciência dos cristãos – feio, sujo, impuro, perverso e vicioso. Esta não é uma questão ligada a uma época ou a uma cultura, é algo atemporal, intrínseco ao ser humano, faz parte de nossa natureza, devia ser visto como coisa comum, natural, pois, tratar o tema de outra forma só faz proliferar o que temos aí, o sexo como algo insalubre, como perversão escondida, como neurose religiosa, e tudo o que é proibido explode da alma para a vida nas formas mais hediondas possíveis.

Fonte: Gospel Mais

Receita deixa de emitir CPF em cartão de plástico a partir de hoje


Brasília - A Receita Federal deixa de emitir o CPF em cartões de plástico a partir de hoje (6). Para ter o número do CPF, basta comparecer às agências do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal e dos Correios e apresentar um documento oficial de identidade. O interessado receberá o número impresso em papel térmico, usado também nos extratos bancários. Em seguida, o contribuinte deverá acessar a página da Receita na internet e imprimir (http://www.receita.fazenda.gov.br/) o comprovante que atesta a autenticidade do documento.

As estatais conveniadas podem exigir o pagamento de até R$ 5,70, mesmo preço do cartão, pela impressão. Mas a Instrução Normativa 1.054/2010 não exige que seja esse valor, que, segundo a Receita Federal, é o que vem sendo cobrado da população.

Antes, o prazo para a liberação do número do CPF era até sete dias. Para receber o cartão de plástico, o contribuinte tinha que esperar 45 dias. Além da agilidade, a Receita alega redução de custos para o órgão. Para o solicitante não muda nada, já que o preço de R$ 5,70 cobrado do cartão é o mesmo para a emissão em papel térmico.

Embora instituições financeiras, comerciantes e até órgãos oficiais, em certa ocasiões, solicitem a apresentação do cartão do CPF, essa exigência é ilegal, informou o Fisco.

A Receita Federal estuda a emissão do CPF pela internet, sem a necessidade de o contribuinte ir aos postos conveniados, mas questões de segurança ainda não permitiram a finalização de um sistema confiável para o processo.

Quem necessita alterar os dados ou a emissão da segunda via pode recorrer ao Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte (e-CAC). Para isso, é preciso acessar a página da Receita na internet e solicitar um código digital.

Fonte: Agência Brasil

Sete deputados estaduais evangélicos aprovam lei gay no Rio, inclusive irmão de Silas Malafaia e filho de R.R. Soares


Por Julio Severo

Mesmo longe do Brasil, eu estava acompanhando emocionadamente a marcha cristã de 1 de junho contra o PLC 122. A manifestação, que ocorreu na frente do Congresso Nacional em Brasília e foi liderada pelo Pr. Silas Malafaia, merecia a total atenção de todos os cristãos.

Estando no exterior, não tenho acesso às redes de televisão do Brasil, a não ser pela internet. Assim sendo, visitei sites de emissoras evangélicas às 15h, horário do início do evento, mas não vi nenhuma delas dando cobertura.

Numa televisão evangélica de Brasília, tudo o que pude ver foi a pregação de uma pastora…
Não é de admirar pois que as emissoras seculares não tivessem feito mais do que as emissoras evangélicas.
Noticiei que compareceram à manifestação cristã umas 20 mil pessoas, mas alguns que participaram dizem o número foi 50 mil ou 80 mil.

Se o PLC 122 ou outra lei anti-“homofobia” passar, afetará apenas 20, 50 ou 80 mil pessoas? Afetará apenas 500 mil pessoas? Então por que mais pessoas não compareceram? Por que as redes evangélicas e católicas não fizeram cobertura completa da marcha em defesa da família?

Não foi somente o evento liderado por Silas Malafaia em Brasília que enfrentou descaso e contradição cristã. Em 4 de junho, Malafaia também liderou a Marcha para Jesus do Rio e atacou a obsessão política de Sérgio Cabral pela sodomia. O governador do Rio, que havia recebido amplo apoio de Malafaia e Crivella na sua primeira eleição, foi com muita justiça denunciado por Malafaia, que também exortou a multidão de participantes a resistirem à avalanche de leis pró-sodomia que Cabral está impondo a ferro e fogo no Rio.

No palanque, Malafaia também exortou seu irmão, Samuel Malafaia, a lutar contra as leis de institucionalização da sodomia. Essas leis fatalmente geram a descaracterização e deformação da família e proteção das crianças.

Não há dúvida de que o irmão de Malafaia precisa de exortação. A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, onde Samuel Malafaia é deputado estadual, aprovou em 25 de maio emenda à constituição estadual nº 23/2007, a qual inclui o termo “orientação sexual” no rol dos direitos e garantias fundamentais, que por sua vez garantirá a aprovação de qualquer PLC 122 e outros males para a sociedade, exclusivamente para privilegiar a sodomia.

O jornal Extra afirma que os únicos que votaram contra essa emenda foram dois deputados estaduais: Edson Albertassi e Flávio Bolsonaro, filho do deputado federal Jair Bolsonaro.
Albertassi foi o único deputado evangélico a mostrar a cara. Onde estavam todos os outros deputados evangélicos? Desaparecidos? Tomando banho de sol na praia de Ipanema? Hospitalizados? Qual é a santa desculpa que vão apresentar?

Enquanto a população está preocupada com o feroz avanço do movimento ideológico gay, redes evangélicas e católicas de televisão estão ocupadas demais para cobrir nossas manifestações, deixando-nos dependentes de meros blogs como o meu, que não têm nem de longe a repercussão que tem um canal de TV. Mesmo assim, cada um faz o que pode. Uma jovem do Rio escreveu o endereço do meu blog numa camiseta e, por conta própria, usou-a na Marcha para Jesus na esperança de indicar para outros uma fonte de informação indisponível na mídia secular e cristã.

Enquanto a população cristã vota em políticos cristãos para que defendam pelo menos os interesses da família, na hora crítica da votação de uma ameaçadora emenda de “orientação sexual” no Rio, todos os deputados evangélicos sumiram do mapa e só Edson Albertassi e Flávio Bolsonaro se distinguiram votando contra.

Em seu site, o próprio Silas Malafaia reconheceu publicamente que essa emenda é um perigo e confirmou que já foi aprovada na primeira votação, alertando o povo do Rio a pressionar os deputados estaduais a votar contra também. Mas o próprio irmão de Malafaia não estava com Albertassi e Bolsonaro quando esses dois deputados sozinhos disseram “não” à emenda. A pergunta intrigante é: Por que o irmão de Malafaia votou a favor da terrível emenda? Por que? (O blog Holofote acaba de confirmar que o irmão de Silas Malafaia realmente aprovou a lei gay de Sério Cabral; não só ele, mas também sete outros deputados estaduais evangélicos, inclusive Marcos Soares, filho do famoso R. R. Soares, da Igreja Internacional da Graça.)

Se a população do Rio não reagir rápido, cobrando energicamente dos deputados cristãos que aparentemente estão tirando uma soneca ou até votando a favor do mal, o Rio de Janeiro poderá se tornar no Brasil o primeiro palco de uma sociedade sob uma lei onde a ordem suprema é a total reverência à sodomia.

Se a população do Brasil não reagir rápido, cobrando energicamente dos canais evangélicos e católicos de TV que decidiram livremente não cobrir um evento contra a ditadura gay, chegará o dia em que depois de uma soneca descobrirão que não mais têm direito nem liberdade de decidir. Em vez de poderem informar que a sodomia é prejudicial, serão obrigados a dizer que a sodomia é uma maravilha inigualável.
Só porque Jesus Cristo disse que os dias finais seriam como os dias de Sodoma significa que as televisões cristãs, com a cumplicidade de políticos cristãos que se ausentam de votações cruciais ou votam no mal, devam deixar a omissão ou atos deliberados desempenharem um papel fundamental para o cumprimento dessa profecia?

Fonte: juliosevero.com

Pastor Silas Malafaia ataca governador do Rio de Janeiro e afirma que TV Record está a favor dos homossexuais


O pastor Silas Malafaia usou o Twitter para criticar a Rede Record de televisão que não noticiou em sua programação nacional a manifestação que aconteceu em Brasília no dia 1º de junho, juntando mais de 20 mil cristãos contra o projeto de Lei 122/2006 que torna crime toda opinião contrária ao homossexualismo.

Em seu microblog, o pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo cobrou a emissora de Edir Macedo, da IURD, o apoio para coibir esse projeto, considerado por ele e outros líderes, inclusive o senador Marcelo Crivella (bispo da IURD) como inconstitucional.

“Parabéns a Rede Globo, Band, SBT, RedeTV, CNT, Rede Boas Novas, TV Canção Nova, TV Câmara e TV Senado pela reportagem que fizeram do evento,” escreveu o pastor.

“Agora e a TV Record? Essa emissora comprada com o dinheiro do povo de Deus está mais a serviço da causa homossexual do que do Reino de Deus,” questionou Malafaia, que organizou a Marcha da Família.

O líder da Advec pediu aos seus seguidores (que somam mais de 130 mil pessoas) que enviem e-mails ao senador Crivella pedindo explicações. “Perguntem ao Senador Crivela ( crivella@senador.gov.br) por que a Record (http://migre.me/4HL1u) não deu cobertura.”

Os internautas chegaram a criar uma hashtag no Twitter para questionar a emissora de Macedo sobre sua posição em relação ao PL 122.

“Será q a Record e o @bispomacedo são a favor da PL122 ou são tão egoístas assim? #quevergonhaRECORD,’ tuitou um internauta.

“Para não dar Ibope ao ‘concorrente’ Silas Malafaia, Record não cobre Marcha. #quevergonhaRECORD,” foram as palavras de outro tuiteiro.

Outros chegaram a dizer que a Record só pede ajuda aos cristãos quando está em guerra com a Rede Globo. “Só ficam do lado dos cristãos quando está de briga com a Globo por audiência! #QueVergonhaRecord”.

Fonte: Gospel Mais

Bombeiros acampam em frente à Alerj para pedir aumento salarial e libertação de militares


Rio de Janeiro - Cerca de 30 homens do Corpo de Bombeiros passaram a madrugada de hoje (6) acampados em frente à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), em mais um ato de protesto. A categoria, que reivindica aumento de salário e melhores condições de trabalho, também pede a libertação dos cerca de 400 militares que foram presos após invadirem o quartel central da corporação, no centro da cidade, no fim de semana.

Em nota oficial divulgada ontem (5), o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, voltou a repudiar o ato, classificando a entrada à força na unidade como “um gesto de imensa irresponsabilidade”.

Ontem, um grupo de aproximadamente 50 bombeiros realizou nova manifestação, caminhando em uma das faixas da Ponte Rio-Niterói. O grupo, que carregava faixas e cartazes, desceu de um ônibus e iniciou a marcha na altura do vão central. Após cerca de dez minutos, o protesto foi interrompido com a chegada de um veículo da concessionária responsável pela via. O grupo seguiu viagem no coletivo.

Na manhã de hoje (6), representantes da Associação de Soldados e Cabos do Corpo de Bombeiros, se reúnem na sede da entidade para analisar em que crimes os 439 bombeiros foram enquadrados e que medidas serão tomadas para soltar os militares presos.

Fonte: Agência Brasil